Ler o Homem mais rico da Babilónia é um life changing event!

Utilizando uma das metáforas do livro, até o lermos vemos a vida através de um vidro e, depois de o ler, passamos a ver a vida de outra forma, bem mais clara.

É um livro bastante leve e fácil de ler, que funciona como um género de um guia para o sucesso financeiro ou como uma Bíblia resumida para quem quer ser rico.

Nos anos 20, George Samuel Clason um militar e homem de negócios americano, publicou um conjunto de panfletos que resultavam da agregação de parábolas sobre a antiga Babilónia, uma terra próspera e recheada de homens ricos.

Estas parábolas giram à volta das regras e do estilo de vida que deve ser seguido de modo a atingir o sucesso na vida a nível financeiro. Através de pequenas histórias e de exemplos simples mostra-nos como é possível qualquer um de nós poupar uma parte do seu rendimento e depois investir essa poupança para que ela cresça sucessivamente e nos traga o conforto que tanto desejamos.

O livro começa por nos dar “7 soluções para carteiras vazias”, são elas:

Após nos dar estas regras de ouro para termos mais ouro, nos capítulos seguintes continua, através de pequenas histórias, a dar-nos ferramentas para atingirmos os nossos objetivos financeiros.

Diz-nos que a boa sorte costuma favorecer quem acredita nas oportunidades e relembra-nos que dar o primeiro passo para construir um património pode ser a única sorte que toque a um homem. Apresenta-nos o perigo da procrastinação: “queremos ser ricos, mas sempre que as oportunidades surgem diante de nós, esse espírito de procrastinação incita-nos a adiar a ação. A Deusa da boa sorte favorece os homens de ação.”

Reforça a ideia de o ouro crescer e se multiplicar por aqueles que poupam e o investem de forma prudente, aconselhados por quem tem conhecimento na matéria. O investimento deve ser cauteloso, estudado e protegido.

Por fim, realça a importância de ter um plano financeiro e segui-lo em vez de andar à deriva, dando novamente um exemplo de um casal completamente endividado que teve sucesso a pagar as suas dívidas, pondo de parte para poupança e posterior investimento 1/10 dos seus ganhos, utilizando 2/10 para pagar as dívidas e o restante para viver.

Em suma, depois de lermos este livro ficamos com a estranha sensação de frustração por não o termos lido mais cedo e termos começado a preparar o nosso sucesso financeiro desde o primeiro momento em que começamos a ser pagos pelo nosso trabalho mas ao mesmo tempo com a esperança de, seguindo à risca estes ensinamentos, conseguirmos alcançar os nossos desejos.


[i] Os juros compostos resultam simplesmente do reinvestimento dos proveitos de um qualquer investimento que gere juros. P. ex., eu invisto 100€ que ao final de um mês geram 1€ de juros, no mês seguinte invisto 101€, que me vão gerar 1,01€ (assumindo que a taxa de juro se mantém constante), no mês seguinte o meu investimento já é de 102,01€ e assim sucessivamente. Ao final de um ano temos 112,67€ e ao final de 6 anos temos 204,68€, ou seja, mais que duplicámos o valor investido.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *