Quando começámos a fazer o controlo conjunto das despesas deparamo-nos com um valor estranhamente elevado no supermercado!

Só pensávamos, se agora gastamos isto imagina quando tivermos a casa cheia de adolescentes😅!

Decidimos perguntar a alguns amigos o que gastavam… os valores deles eram proximos dos nossos.. ufa!

Mesmo assim era um grande número… Será que não podia ser menor? Aprendemos com a experiência que dá sempre para ser menos, e muitas vezes sem comprometer a qualidade das coisas. Aqui vão algumas das nossas medidas:

1. Planear a Ementa Semanal

Isto fez com que não estivéssemos sempre a pensar no que é que vamos fazer para o jantar, evita o desperdício de alimentos (o que também é bom para a carteira) e fez com que não recorrêssemos tantas vezes à tentação dos delivery food!

2. Comparar Preços!

Nunca fomos o tipo de pessoa que anda a ver os folhetos dos supermercados em busca do mais barato… Não achávamos que fazia assim tanta diferença, tendo sempre optado por tentar simplificar a nossa vida ao máximo.

Impulsionados pela chegada do nosso filho, decidimos começar a comprar carne no talho em vez de no supermercado. Por curiosidade, começámos a colocar no nosso querido Excel os preços da carne que comprávamos no talho e os preços do supermercado… surpresa das surpresas, em regra era sempre mais barato no talho! Quem diria!

3. Back To Basics!

Há bons hábitos que as nossas avós tinham que se foram perdendo ao longo do tempo… mas a verdade é que esses hábitos, a nível da confecção da comida, eram mais baratos, quase sempre mais saudáveis e sem grande esforço adicional!

P.ex, as leguminosas (feijão, grão) enlatadas são mais caras que as secas, que podemos cozer no fim de semana para as refeições da semana, não dá trabalho nenhum e é muito mais saudável!!

Podem parecer coisas “pequenas”, mas no final do mês o impacto é visível!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *